Sempre citado como tendo uma das sociedades mais desiguais do mundo, o Brasil progrediu significantemente na redução da disparidade, entre 2002 e 2013, principalmente entre os que sofrem com interseccionalidade de desigualdades múltiplas e acumuladas. Em um esboço de seu recente artigo para o Instituto de Desigualdade Internacional, Naila Kabeer (LSE International Development/Gender Studies) e Ricardo Santos (UNU-WIDER) argumentam que entender melhor o progresso brasileiro […]